Embora a ginástica laboral tenha surgido lá atrás, na década de 1930, muitas pessoas ainda não conhecem essa prática e seus benefícios (que são muitos!). 

Sabe aquela dor nas costas por ficar todo o expediente sentado em frente a um computador? Formigamento nas pernas de tanto ficar na mesma posição? Dor nos braços devido a movimentos repetitivos? A ginástica laboral pode aliviar e prevenir esses e outros desconfortos causados pela sua função de trabalho. 

Entenda melhor o conceito de ginástica laboral, os tipos, benefícios e confira práticas para começar agora mesmo! 

O que é ginástica laboral?

A palavra “laboral” vem do latim labore, que significa trabalho. Portanto, podemos defini-la como a ginástica no ambiente de trabalho. São realizados exercícios leves, feitos no máximo por 15 minutos, em três ou mais momentos do expediente. 

Tem como objetivo melhorar o bem-estar, evitar doenças ocupacionais e incentivar os colaboradores a praticar atividades físicas. 

Essa prática surgiu na Polônia, em 1935, mas se popularizou mesmo na década de 1960, principalmente na Europa e no Japão. No país oriental, a ginástica laboral se tornou obrigatória em escritórios. 

A importância da ginástica laboral

Vamos exemplificar com uma situação comum que, provavelmente, já aconteceu com você.

Um colaborador está realizando uma tarefa que precisa ser concluída até o final do dia. De tanto ficar sentado (ou em pé), centrado nessa tarefa, ele começa a sentir dores nas costas. Mas ele tem um prazo e precisa concluí-la, mesmo que a dor o faça perder a concentração em vários momentos. O rendimento diminui e a frustração aumenta.

Com muito esforço, ele consegue terminar a tarefa, que poderia até ter ficado melhor se não fosse pela dor. Fadigado e estressado, vai para casa e não consegue ter um descanso adequado. No dia seguinte, o colaborador tem mais um dia de trabalho, mas está indisposto e desmotivado. O ciclo se repete. 

Ao aderir à ginástica laboral, tudo isso poderia ser evitado ou amenizado. 

Tipos de ginástica laboral

Os tipos de ginástica laboral são classificados pelo momento em que são realizados ou pelo objetivo. Confira! 

Preparatória

Pelo nome, já é possível tirar uma conclusão: é um conjunto de exercícios que tem como objetivo preparar o colaborador para o seu expediente. Portanto, é feito antes de qualquer tarefa, logo ao chegar no ambiente de trabalho. 

Compensatória

Para interromper a monotonia operacional, a primeira pausa do dia é destinada à prática da ginástica compensatória. Aqui, o principal objetivo é fazer uma “manutenção” das partes do corpo sobrecarregadas. 

De relaxamento

Ao final da jornada de trabalho, temos a ginástica laboral de relaxamento, que visa aliviar o estresse e a tensão. Além disso, evita o acúmulo de ácido lático (principal causador de dores musculares). 

Preventiva

Já dizia aquele ditado: é melhor prevenir do que remediar. Sendo assim, a ginástica preventiva incentiva a prática de atividades físicas fora do horário de trabalho. Afinal, se exercitar traz inúmeros benefícios, como aumentar o condicionamento e a resistência física. 

Corretiva

Por fim, essa modalidade busca corrigir partes do corpo já prejudicadas pela função de trabalho. Por exemplo, alguém que trabalha levantando e movimentando cargas deve fazer exercícios corretivos para todo o corpo, principalmente braços e tronco. 

Práticas para ginástica laboral

Agora, vamos ao que mais interessa: como colocar a ginástica laboral na prática? Quais são os principais exercícios e em que momentos fazê-los?

Alongamento

O alongamento é ideal para preparar o corpo, aliviar tensões musculares e aumentar a flexibilidade, deixando os movimentos mais soltos e leves. Pode ser feito em todas as etapas da ginástica laboral. 

Correção de postura

Esta atividade é realizada, principalmente, na ginástica compensatória. Afinal, com o passar das horas, é comum que fiquemos em uma posição “corcunda”. 

Se você trabalha sentado, é necessário manter as costas apoiadas na cadeira e os pés, no chão. Corrija os ombros para não deixá-los caídos ou voltados para frente. 

Respiração

Como em todos os sistemas do nosso organismo, a respiração é influenciada pelas emoções. Ao tirar um tempo para inspirar e expirar com atenção, oxigenando as células, é possível equilibrar as atividades cerebrais relacionadas à calma e ao estresse. 

Automassagem

Já pensou em receber uma massagem relaxante de você mesmo? Pode ser feita em todo o corpo, especialmente nos ombros e pescoço. A grande vantagem da automassagem é que você pode realizá-la em qualquer lugar, a qualquer momento. Apenas cinco minutos podem fazer uma grande diferença. 

Meditação

A meditação é uma prática que vem se popularizando ultimamente, já que os efeitos são muito positivos. Uma boa dica para iniciantes é fazer a meditação guiada com pouco tempo e ir aumentando. Assim, você aprende a meditar para, depois, ter mais autonomia.  

Exercícios aeróbicos e anaeróbicos

Inclua atividades físicas no seu dia a dia, seja uma caminhada, corrida, dança, musculação, natação ou o que você preferir. 

No entanto, é recomendado trabalhar tanto a parte aeróbica (exercícios de longa duração e intensidade baixa à moderada), quanto a parte anaeróbica (exercícios de curta duração e intensidade alta). Desse modo, é possível aumentar a capacidade cardiorrespiratória e também fortalecer os músculos, fazendo com que eles não fadiguem com tanta facilidade.

Benefícios da ginástica laboral

Conheça os benefícios comprovados da ginástica laboral, tanto para os colaboradores, quanto para as organizações.

Para os colaboradores

  • Previne e alivia dores ou doenças ocupacionais.
  • Aumenta a concentração, a produtividade e a disposição.
  • Reduz o esgotamento no fim do dia.
  • Evita síndromes relacionadas ao trabalho, como a Síndrome de Burnout.
  • Melhora o bem-estar e a qualidade de vida. 

Para as empresas

  • Aumenta a produtividade e o engajamento da equipe.
  • Melhora o clima organizacional.
  • Diminui riscos de acidentes de trabalho.
  • Reduz a taxa de turnover e absenteísmo.
  • Aumenta os níveis de satisfação.

E aí? Preparado para começar a ginástica laboral?