O feedback positivo é uma ótima forma de mostrar reconhecimento e valorizar o profissional. Assim, ele se sente mais motivado para continuar levando resultados e crescer na carreira. No entanto, sabemos que nem sempre tudo são flores. Às vezes, um colaborador ou até mesmo a empresa não está indo de acordo com as expectativas. Nesse caso, é possível dar um feedback negativo (ou, como preferimos chamar, corretivo), em que todo o cuidado com as palavras é bem-vindo. Entenda por que o feedback é importante, os tipos, como fazê-lo de maneira eficiente e as vantagens de aderir a essa prática na sua empresa.

Saiba a importância do feedback positivo

Algo intrínseco na natureza humana é a busca pela satisfação das necessidades – desde as mais básicas, como as fisiológicas, até as mais complexas. E é aí que entra a necessidade de estima e realização. Ao dar um feedback positivo para o colaborador, ele estará suprindo essa necessidade e terá ainda mais energia para continuar o bom trabalho. Ele se sentirá valorizado e, consequentemente, motivado. Além disso, o feedback é uma ótima ideia para aproximar a liderança dos funcionários, tirando aquele estigma de que os gestores são pessoas inalcançáveis. Com isso, ele se sentirá mais à vontade no ambiente de trabalho e vestirá a camisa da empresa.

Tipos de feedback

Conheça os tipos de feedback e escolha aqueles que mais combinam com o perfil da empresa. Afinal, ter uma cultura organizacional bem definida faz toda a diferença para a identidade da organização.

Feedback positivo ou negativo

Como você já pôde perceber, o feedback positivo é ideal para a valorização do colaborador, que se sentirá mais motivado. Já o negativo, ou corretivo, pode ser feito quando o rendimento é insuficiente ou para indicar um comportamento inadequado. Dar esse tipo de feedback, muitas vezes, é um desafio, já que existem pessoas que levam para o lado pessoal ou enxergam como ofensa. Por isso, é necessário ser cauteloso, e você verá como daqui a pouco.

Feedback formal ou informal

O feedback formal se trata de um processo pontual e agendado. Então, o gestor chama o funcionário para uma reunião, em um horário marcado, para debater sobre resultados e comportamento. Geralmente, acontece mensalmente, a cada três ou seis meses. Feito no dia a dia, em forma de bate-papo, o feedback informal está sendo cada vez mais utilizado nas empresas. Isso porque, com uma constância dos retornos, o colaborador fica mais ciente dos processos, das expectativas e se sente mais motivado para atendê-las.

Feedback unilateral ou bilateral

Está enganado quem pensa que o feedback só é válido quando vem da empresa para o colaborador (unilateral). Existe o tipo bilateral, em que o funcionário também aponta pontos positivos e os pontos a melhorar da organização, como remuneração, benefícios, clima organizacional, oportunidades de crescimento, gestão, processos, entre outros temas.

Como fazer um bom feedback na empresa?

Em termos gerais, um bom feedback é aquele que reconhece e destaca as qualidades e, se necessário, indica pontos a melhorar. Veja mais detalhes.

Escolha um ambiente adequado

Um ambiente mais silencioso e reservado é o ideal. No entanto, muitos colaboradores se sentem tensos ao ficar cara a cara com o gestor ou RH. Então, crie um clima confortável e agradável.

Faça uma introdução

Situações como feedbacks podem deixar o funcionário ansioso. Para evitar isso, faça uma introdução do que será falado e, sempre que indicar um ponto, apresente exemplos de situações reais para que ele entenda melhor.

Reconheça as qualidades do colaborador

Mesmo que um colaborador precise melhorar em algum aspecto, é fundamental apontar suas qualidades. Caso contrário, o colaborador pode sair do feedback se sentindo totalmente desmotivado.

Aponte os pontos a melhorar em forma de orientação

Primeiramente, é muito importante que o momento do feedback aconteça em particular, especialmente se for corretivo, para não expor ou constranger o funcionário. Ao dar um retorno negativo, fale em tom de orientação. Ou seja, indique o ponto que deve ser corrigido (com exemplos reais observados) e, logo em seguida, proponha maneiras de solucioná-lo. Assim, o colaborador já saberá o que é esperado dele.

Solicite ao colaborador o seu feedback sobre a empresa e a gestão

Para uma relação funcionar, tudo deve ser uma via de mão dupla, não é mesmo? E não poderia ser diferente com a relação empresa-funcionários. Por isso, utilize o feedback bilateral para entender como o colaborador enxerga a empresa, com seus pontos positivos e negativos. Afinal, é a equipe que faz a organização funcionar. Se os integrantes dela não estiverem satisfeitos, as consequências não serão boas.

Bônus: livro “Comunicação não-violenta”

O livro “Comunicação não-violenta” apresenta um conjunto de técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais, aplicáveis em situações que precisam de clareza na comunicação. Vale a pena conferir.

Veja uma fórmula eficiente para o feedback

Uma ótima estratégia para o feedback é realizá-lo na seguinte ordem: feedback positivo, corretivo e positivo. Portanto, inicie elogiando algo positivo que você tenha observado. Depois, aponte os pontos a melhorar, sempre dando exemplos e soluções práticas. Por fim, destaque outras características positivas para que o colaborador saia, ainda que com aspectos a melhorar apresentados a ele, se sentindo reconhecido e motivado.

Vantagens do feedback em uma empresa

Deu para notar que existem vantagens do feedback para ambas as partes, não é? Para a organização, o principal benefício é a motivação da equipe. Consequentemente, mais produtividade e resultados. Também é possível entender as expectativas dos funcionários em relação à empresa e, assim, estruturar melhorias. Quem não gosta de ter suas qualidades reconhecidas? Essa é a grande vantagem para o colaborador, além de ser uma oportunidade para saber como evoluir enquanto profissional e deixar o gestor ciente sobre as suas expectativas em relação à empresa. Você é um gestor? Então, motivo é o que não falta para colocar o feedback positivo em prática já!