Após a confirmação do primeiro caso de coronavírus e dos primeiros casos de transmissão local no Brasil, as dúvidas e os boatos vem crescendo a cada dia. É importante ressaltar que não tem motivo para pânico, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 80% dos infectados se recuperaram sem a necessidade de tratamento especial

Para ajudar a se prevenir da doença, especialmente dentro do ambiente de trabalho, compilamos as recomendações divulgadas pela OMS e também conversamos com a pós-doutoranda do Laboratório de Investigação Médica da Faculdade de Medicina da USP. Acompanhe. 

Como o vírus é transmitido?

O vírus é transmitido pelo ar (por meio de espirros ou tosse) ou pelo contato pessoal com secreções contaminadas, como: 

  • gotículas de saliva;
  • espirro; 
  • tosse; 
  • catarro; 
  • contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;
  • contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, olhos ou nariz.

Quais os principais sintomas do coronavírus?

Os sintomas são muito parecidos com os da gripe. Segundo a OMS, as manifestações mais comuns do coronavírus são tosse seca, febre e cansaço. 

Alguns pacientes podem apresentar congestão nasal, coriza, dor de garganta, dores no corpo e diarreia. Em casos mais graves, a pessoa pode apresentar dificuldades para respirar e ter até insuficiência renal.

Quais os principais métodos de prevenção do coronavírus?

O Ministério da Saúde elaborou uma lista com alguns cuidados básicos de prevenção para reduzir o risco de contrair ou transmitir o vírus. Para se prevenir, siga essas orientações: 

  • cubra a boca e nariz com o braço ao tossir ou espirrar;
  • utilize lenço descartável para higiene nasal;
  • evite tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • não compartilhe objetos de uso pessoal;
  • limpe regularmente o ambiente e mantenha-o ventilado;
  • lave as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou use antisséptico de mãos à base de álcool 70%;
  • limpe objetos e superfícies tocados frequentemente, como celulares e tablets;
  • não realize deslocamentos enquanto estiver doente;
  • quem for viajar aos locais com circulação do vírus deve evitar contato com pessoas doentes, animais (vivos ou mortos) e a circulação em mercados de animais e seus produtos.

Fonte: Artigo divulgado pela Organização Mundial de Saúde

Conversamos com a pós-doutoranda do Laboratório de Investigação Médica da Faculdade de Medicina da USP, Roberta Martins, para responder sobre os principais cuidados que as empresas devem tomar diante da pandemia. Confira abaixo: 

Entrevistador: Quais os principais cuidados que a empresa deve ter diante do coronavírus?

Resposta: O principal cuidado é orientar os funcionários sobre a prevenção, falar de cuidados básicos no dia a dia. Disponibilizar dispensadores de álcool gel a 70% é uma boa opção para estimular os funcionários a higienizarem mais as mãos.

Se um funcionário apresentar sintomas ou tiver tido contato com caso confirmado ou suspeito é fundamental mandá-lo para casa, assim como monitorar a saúde dos outros funcionários.

As empresas também devem planejar e traçar possíveis cenários e quais atitudes devem ser tomadas diante dos casos de coronavírus.

E: O que a empresa precisa disponibilizar aos funcionários?

R: Disponibilizar dispensadores de álcool gel a 70% e lenços descartáveis em vários locais da empresa. Não deixar faltar sabão e toalhas de papel nos banheiros. 

A limpeza do ambiente também deve ser realizada com mais frequência. É fundamental promover campanhas com orientação e disponibilizar informações atualizadas sobre a situação.

E: Devemos trabalhar de máscara?

R: Nem todo mundo precisa usar máscara. O que está havendo hoje é um pânico da população e o uso indiscriminado delas. O uso de máscara é mais importante para os profissionais da saúde para precaução de gotículas em atendimento de pacientes suspeitos ou confirmados. 

Pessoas com sintomas também devem usar máscara, pois as gotículas com vírus ficam contidas na máscara e todo mundo fica seguro. O importante mesmo é sempre lavar as mãos, ter etiqueta ao espirrar e tossir e evitar tocar no rosto.

E: O home office é uma opção?

R: Sim, é uma opção já que estamos na fase de transmissão comunitária do coronavírus, já não dá mais para identificar a fonte de transmissão, o vírus já está circulando. Neste momento, é importante restringir os contatos sociais. Vai para a empresa quem realmente é necessário e não está entre grupos de risco.

E: E para os colaboradores operacionais que não tem como fazer home office? Qual a melhor recomendação?

R: Eles devem seguir as mesmas recomendações que os outros funcionários. Higiene das mãos, etiqueta respiratória, além da empresa disponibilizar álcool gel a 70%.

E: E quanto às viagens a trabalho?

R: Viagens a trabalho também devem ser evitadas. Se possível, faça as reuniões e encontros virtualmente. É mais seguro e assim evita-se o contato com grupos de riscos e possíveis infectados.

E: O que fazer se eu apresentar os sintomas?

R: Se você tiver sintomas como coriza, febre baixa e tosse não se deve procurar um hospital ou posto de saúde imediatamente. Mas ao sentir falta de ar, febre alta e um agravamento dos sintomas no geral é recomendado procurar atendimento médico.

Portanto, siga a risca as recomendações de higiene, evite aglomerações e, caso apresente alguns dos sintomas, monitore-os e procure um médico somente em caso de agravamento.

“Agora é o momento para se preparar contra a covid-19. Simples precauções podem fazer uma grande diferença. As ações que sugerimos protegerão os funcionários e até o negócio”, conclui o documento da OMS.