Emagrecer é um desejo que muitos têm. Mas, claro, não é tão simples assim. Além de mudança de hábitos e acompanhamento médico, podem existir fatores que você deve ficar atento a fim de conseguir o seu objetivo com mais facilidade, lembrando que emagrecer é um processo que leva tempo.

Quer saber como começar e/ou o que pode estar atrapalhando a sua vida mesmo sem você perceber? Confira o nosso guia para iniciar ou prosseguir na sua dieta!

Primeiramente, o que é emagrecer?

Muita gente confunde emagrecer com perder peso. Mas enquanto este é simplesmente pesar alguns quilos a menos, aquele representa a perda de gordura corporal do nosso corpo. Vale salientar que você pode estar emagrecendo sem perceber, afinal, a perda de gordura não implica necessariamente perda de quilos na balança, o que mostra que a ajuda profissional é fundamental para monitorar a sua dieta.  

Quais fatores levam ao emagrecimento?

Existe uma série de fatores – genéticos, físicos e psicológicos – que auxiliam na perda de peso. Os principais são:

Alimentação

Sem dúvida, a forma que comemos faz toda a diferença na dieta. Isso porque se o número de calorias consumidas pela alimentação for maior que a quantidade gasta nos exercícios físicos, ganharemos peso. 

Mas quais alimentos comer? A dica é investir nos chamados alimentos termogênicos – aqueles que aceleram o metabolismo e consomem uma grande quantidade de energia em nosso organismo – como café, chá-verde, frutos-do-mar (ricos em ômega 3), arroz integral, entre outros. 

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é healthy-people-salad-food-woman_Easy-Resize.com_-1024x682.jpg
Escolha de alimentos que vai te oferecer energia. Foto: Reprodução/FreePik

Genética

A genética é fator determinante para emagrecer com maior ou menor facilidade. Todo ser humano tem algo chamado imunidade bioquímica. Isto é, cada organismo tem uma resposta diferente aos nutrientes ingeridos em cada refeição. 

Sem contar que agentes como a obesidade na família e comportamentais, como a dieta que levamos ao longo da vida, podem influenciar na hora que decidimos lutar contra a balança.  

Diante disso, a avaliação médica é fundamental, pois, em todo regime, há “muitas peculiaridades que se observam mesmo com detalhada avaliação clínica e só sabemos se tivermos a oportunidade de acessar o DNA da pessoa”, de acordo com a nutróloga Mariela Silveira, em entrevista ao Estadão

Então, caso tenha dificuldades com o emagrecimento mesmo seguindo as medidas certas, não se culpe e procure avaliação profissional.

Mudanças hormonais  

Os hormônios também possuem papel fundamental na facilidade (ou não) em emagrecer. Afinal, o nosso corpo é um conjunto de sistemas que precisam estar em pleno funcionamento. Se isso não acontecer, pode haver consequências como o aumento excessivo de apetite e a maior probabilidade de engordar.

Caso desconfie de algum problema específico, não deixe de procurar um endocrinologista para avaliar a sua saúde. 

As principais dicas para emagrecer

Agora que você já sabe o que ajuda e atrapalha na hora de tentar emagrecer, seguem alguns passos para turbinar a sua dieta:

Coma devagar

Bom, para quem quer emagrecer, é essencial desfrutar do alimento que está sendo ingerido, não apenas mastigar e engolir. Isso porque quanto mais devagar se come, mais fácil será para seu cérebro perceber que você está satisfeito e não precisa mais comer. 

Beba mais água

Sabe aquela máxima de beber o máximo de água possível? Então, no processo de emagrecimento, ela vale também. Uma boa pedida é tomar líquidos antes das refeições para diminuir a fome. Além disso, a urina excluída de nosso corpo possui toxinas que prejudicam o nosso emagrecimento.

A ingestão de água é um forte aliado para o emagrecimento. Foto: Reprodução/FreePik

Exercícios físicos

Outra queridinha dos nutricionistas, fazer exercícios é altamente recomendado para quem quer emagrecer. Porém, a questão aqui não é a quantidade, mas, sim, a regularidade da prática. Isto é, não adianta fazer 2 horas de esteira um dia e voltar ao sedentarismo, por exemplo. 

Outra questão é que não são apenas os exercícios aeróbicos (caminhada, bicicleta e corrida) que colaboram para o emagrecimento. Exercícios como levar o pet para passear, subir escadas em detrimento ao elevador, entre outros, são excelentes pedidas.

Comer de tudo, mas moderadamente

Todo mundo já deve ter ouvido aquela história de que não podemos comer carboidratos porque engorda, por exemplo. Mas o fato é que o corpo necessita de todos os nutrientes e até mesmo gorduras. 

Por isso, a dica é comer sem ter vontade, mas com cuidado. Por exemplo, beber chás e cafés sem açúcar, priorizar alimentos como castanha e linhaça na dieta para ajudar na saciedade e evitar comer mesmo já satisfeito. 

Dietas malucas, posso fazer? 

Dieta da lua, do queijo, da sopa… Quantas vezes você já não viu isso, inclusive em revistas ou sites. A pessoa restringe a sua alimentação do nada e, de repente, emagrece x quilos em poucas semanas. 

Os perigos são vários. Alimentar-se de só um tipo de comida pode trazer malefícios, como o aumento da glicose e do colesterol, ou comprometer o funcionamento dos rins e do fígado, no caso do consumo excessivo de proteínas, por exemplo. 

Por isso que tais dietas não funcionam. Afinal, precisamos dos carboidratos para ter energia nas atividades cotidianas, as proteínas são necessárias para o transporte de nutrientes no sangue, e assim sucessivamente. Fuja dessa cilada!

Faça por você, não pelos outros

Não é incomum que role aquela pressãozinha quando se está fazendo dieta, não é mesmo? É necessário ter jogo de cintura para lidar com os palpites alheios, sobretudo em momentos como quando saímos para comer fora. 

Uma das recomendações é não falar abertamente sobre a sua escolha de fazer regime, a menos que solicitado por alguém e, quando ouvir opiniões adversas, filtrar o que está sendo dito e lembrar que isso diz mais sobre a pessoa do que sobre você. 

Mas, calma: é possível manter a dieta e a vida social simultaneamente. A chave é manter o equilíbrio. A nutricionista Karla Maciel, coordenadora do departamento científico da E4 agência, em entrevista ao Vitat, dá algumas dicas nesse caso:

  • Se possível, saia de casa pré-alimentado para evitar muita fome e comer demais;
  • Priorize petiscos grelhados ao invés de fritos;
  • Se beber algo, evite bebidas alcoólicas, pois elas possuem mais calorias;
  • Depois da refeição fora de casa, volte à dieta. 

Acompanhe a TotalPass!

Gostou desse conteúdo? Confira todos os nossos canais nas redes sociais (Linkedin e Instagram) e veja dicas sobre atividade física, alimentação, bem-estar, saúde mental e nutrição.  

Confira também o canal da TotalPass no YouTube! A TPTV traz conteúdos exclusivos sobre gestão de equipes, liderança, saúde mental e qualidade de vida no trabalho, receitas, treinos e muito mais. Até a próxima!