De fato, a pandemia de coronavírus inverteu o mundo de ponta cabeça e mudou paradigmas em relação à nossa cultura, valores e costumes. Tivemos que nos adaptar a circunstâncias difíceis, como o isolamento social e o novo modo de comunicação predominante online no nosso dia a dia.

Além disso, vários setores da economia foram afetados, muitos profissionais tiveram que se reinventar e usar da criatividade para se recolocar no mercado de trabalho ou obter renda extra.

Um dos setores mais afetados foi o de entretenimento e cultura. Apesar da variedade de conteúdo disponível em formato de live, as datas comemorativas tradicionais não puderam ser festejadas da forma que queríamos, e outras até  tiveram que ser canceladas, como foi o caso do nosso tão querido carnaval.

Imagine falar do Brasil sem mencionar essa festa tão característica do nosso país? É como se houvesse uma lacuna na história da nossa cultura. 

Um pouco da história do Carnaval

Apesar de o Carnaval ser tradicionalmente comemorado no Brasil, ele tem sua origem na antiguidade católica. A palavra “Carnaval” vem do termo em latim Carnis Levale que significa “retirar a carne”, isso em referência ao jejum que deveria-se fazer antes da quaresma, como uma forma de a igreja reprimir os “desejos mundanos”.

Ao longo do tempo, o Carnaval sofreu influência de outros povos e culturas, a exemplo disso, na babilônia, região onde era celebrada a execução de prisioneiros e nas cidades italianas, mas principalmente em Roma, durante o Renascimento.

Entretanto, a história do Carnaval no Brasil surgiu apenas no período colonial. Os “entrudos”, como eram chamadas as primeiras manifestações carnavalescas, eram festas originalmente portuguesas que passaram a ser celebradas pelos escravos, em forma de danças e brincadeiras na lama.

Nessa perspectiva, o entrudo foi proibido em 1841, mas voltou a ser comemorado no século XX: “Depois surgiram os cordões e ranchos, as festas de salão, os corsos, e as escolas de samba. Afoxés, frevos e maracatus também passaram a fazer parte da tradição cultural carnavalesca brasileira. Marchinhas, sambas e outros gêneros musicais foram incorporados à maior manifestação cultural do Brasil.” de acordo com o portal Brasil Escola, no site da Uol. 

Este ano, mais uma vez teremos que reinventar a diversão. Afinal, essa é só uma fase, que devemos nos cuidar e cuidar dos outros, para que juntos, a gente possa receber de novo o nosso tão querido carnaval.

Enquanto isso, a TotalPass elencou 5 motivos pra você ver o lado bom de passar o carnaval em casa:

  • Vai ter uma programação completa de bloquinhos em formato de live, acesse para conferir na íntegra: https://gshow.globo.com/noticia/lives-carnaval-2021-agenda-para-curtir-em-casa-sem-aglomerar.ghtml
  • Você não vai precisar enfrentar longas filas para ir ao banheiro. Você é o único na fila da sua casa.
  • Nem se perder nos encontros e desencontros com os amigos. O ponto de encontro é o seu sofá!
  • Seus itens pessoais, principalmente seu celular, estarão seguros com você.
  • Você pode economizar aquela grana que gastaria em uma viagem ou nos dias de folia para investir em você.

Cuide de você e fique bem para comemorar o carnaval no ano que vem!

Referências

https://nautilus.ind.br/5-dicas-para-curtir-o-carnaval-em-casa/

https://superela.com/coisas-para-fazer-no-carnaval

https://brasilescola.uol.com.br/carnaval/historia-do-carnaval.htm#:~:text=A%20hist%C3%B3ria%20do%20Carnaval%20no,outras%20jogando%20lama%2C%20urina%20etc.