A gestação é um dos períodos mais importantes na vida de uma mulher. Além da explosão de hormônios que o corpo passa, a nova mãe precisa lidar com uma série de outros fatores que chegam junto com a gravidez. Com esse turbilhão de emoções, pode ser difícil conseguir manter a saúde mental em dia.

Saiba como manter a saúde mental na gestação
Manter a saúde mental na gestação é essencial para a mulher

A gravidez por si só já é um período conturbado na vida da mulher. Além de lidar com todas as mudanças do corpo, é preciso preparar a mente para a chegada de um novo integrante na família.

Com isso, a gestante pode acabar se colocando em segundo lugar e não priorizando a sua saúde também, concentrando todo os esforços no bebê.

Esse conjunto de emoções pode afetar a saúde mental da mulher, o que pode levar a uma série de problemas antes e depois do parto. Quer saber mais? Continue a leitura!

Gestação: como manter a saúde mental? 

Quando uma mulher engravida, o organismo dela é tomado por uma série de hormônios, que afetam o seu humor, o dia a dia e transformam completamente a rotina da família.

Idealmente, a gestação acontece com muito planejamento, onde a mulher possui uma rede de apoio integrada e consegue ajuda para lidar com os primeiros meses da nova rotina.

Porém, nem sempre é isso que acontece. Segundo o IBGE, o Brasil possui mais de 11 milhões de mães solo. Além disso, pelo menos 62% das mulheres já tiveram uma gravidez indesejada ou mais.

Quando não existe um planejamento e a mulher é pega de surpresa, é ainda mais difícil manter a saúde mental em dia, já que as preocupações dobram de tamanho e toda a vida da gestante será mudada para sempre.

O importante é manter um planejamento, mesmo quando a gravidez não é esperada. A partir do momento em que a mulher descobre que está gerando uma vida, é preciso tomar uma série de decisões e definir bem os próximos passos para a saúde dela e do bebê. 

Indique sua empresa

Muito estresse, ansiedade e preocupações durante a gestação podem afetar diretamente a saúde fetal, proporcionando diversos riscos para a mãe e para a criança.

A saúde mental na gravidez deve ser cuidada e monitorada desde o momento da descoberta até o puerpério. É um período de muitas mudanças para a mulher e todos na vida dela. Se não cuidada da melhor forma possível, diversos danos podem ser desenvolvidos.

Os cuidados devem ser pré, durante e após a gestação. Saiba algumas atitudes que a mulher e sua família podem tomar para manter a saúde mental em dia!

Antes da gestação 

Antes de começar a pensar em engravidar ou até mesmo se existe a possibilidade da gestação, mesmo quando não planejada, a mulher precisa estar com os exames atualizados para ter certeza de que não existe nenhum problema de saúde pré existente. 

Além disso, é preciso cuidar do psicológico também. O acompanhamento com um terapeuta é essencial para que a mulher tenha certeza se quer, de fato, ter um bebê e se tem condições emocionais para isso.

Por mais planejado que seja, imprevistos acontecem e algumas coisas podem fugir do roteiro. O importante é não se desesperar e buscar soluções junto com a equipe médica para que tudo saia da melhor maneira possível.

Mulheres com algum transtorno mental, como depressão ou ansiedade podem demorar mais para engravidar e ter reações diferentes, caracterizando como uma gestação de risco. Com todos os hormônios desse período, os problemas mentais podem ficar ainda mais em evidência, gerando um estresse desnecessário.

Por isso o acompanhamento psicológico é tão importante em todas as fases da gravidez. Além de evitar imprevistos, esse cuidado com a mente faz toda a diferença e pode ajudar muito numa gestação calma e tranquila.

Durante a gestação 

A partir do momento em que a mulher descobre a gravidez, o turbilhão de emoções fica cada dia mais forte. Todas as semanas são intensas, mas as primeiras e as últimas podem ser as mais emocionantes. 

Muitas mulheres grávidas podem desenvolver transtornos como bipolaridade, TOC ou distúrbios alimentares, especialmente se já existia um histórico de algum desses problemas.

Por isso, ao menor sinal de desconforto, é recomendado que a gestante busque ajuda profissional. Ela pode falar com o responsável que está fazendo o pré-natal e relatar os sintomas. Assim, a mulher irá receber apoio nos 9 meses da gravidez. 

Durante a gestação, os sintomas podem mexer muito com a saúde mental da mulher. Enjoos frequentes, cólicas, dores no corpo todo, o incômodo de quando o bebê chuta, além de, claro, ter que lidar com o ambiente de trabalho enquanto essa mudança acontece na vida pessoal dela. 

O acompanhamento psicológico é extremamente importante nessa fase também, já que o profissional pode ajudar a mulher a lidar melhor com as emoções, e todas as mudanças que acontecem com a rotina e corpo dela. 

Além disso, existem algumas atitudes que a mulher pode tomar que ajudam a manter a saúde mental, como: 

  • Fazer exercícios
  • Ter uma alimentação saudável; 
  • Tirar um tempo para cuidar de si mesma toda semana; 
  • Se informar por meio de livros, blogs e com profissionais; 
  • Não parar com os hobbies. 

Lembrando que, antes de mãe, a gestante era uma mulher, que já tinha uma vida sem um bebê. É importante não se desconectar dessa parte de si mesma.

Saiba como manter a saúde mental após a gestação
A depressão pós-parto pode ser um problema para a mulher

Após a gestação

O período pós gestação pode ser o mais difícil. A chegada do bebê faz uma grande diferença na rotina dos novos pais e é preciso passar por um processo longo de adaptação em todas as áreas da vida.

Todo esse caos inicial, somado a queda dos hormônios no puerpério, pode levar muitas mulheres a terem depressão pós-parto.

No Brasil, em cada quatro mulheres, mais de uma apresenta sintomas de depressão no período de 6 a 18 meses após o nascimento do bebê, especialmente aquelas que não planejaram a gravidez e não possuem uma rede de apoio.

Isso acontece porque, com a queda dos hormônios produzidos durante a gravidez, a mulher pode sofrer alterações no humor, se sentindo cansada, deprimida e extremamente triste. A insônia e as crises de choro também são comuns nas pessoas que sofrem desse mal.

Além disso, a carga psicológica também entra em evidência, já que a nova mamãe se sente incapaz de cuidar do bebê e não consegue se adaptar à nova rotina.

A depressão pós-parto é uma condição normal e tem cura. A mulher que sofre com esse mal pode passar com um psicólogo especializado no assunto, frequentar grupos de apoio e trocar experiências com outras pessoas que passaram pela mesma situação.

O acompanhamento profissional é essencial nessa fase também, já que o terapeuta irá indicar qual o melhor método de tratamento e se é necessário intervir com medicamentos. 

A gestação, apesar de ser um período repleto de mudanças físicas e psicológicas, é um momento único e especial para a mulher. Manter a saúde mental em dia é essencial para uma qualidade de vida cada vez melhor. 

Acompanhe a TotalPass!

Gostou desse conteúdo? Confira também nossas redes sociais (Linkedin e Instagram) e veja dicas sobre atividade física, alimentação, bem-estar, saúde mental e nutrição.  

Confira também nosso canal no YouTube! A TPTV traz conteúdos exclusivos sobre gestão de equipes, liderança, saúde mental e qualidade de vida no trabalho, receitas, treinos e muito mais.

Para conhecer mais sobre os nossos planos e as redes parceiras, clique aqui.

Baixe agora mesmo o aplicativo TotalPass no Android ou iPhone e comece a aproveitar as vantagens exclusivas. 

E aí, bora?

Agora tudo pode, Agora é TotalPass