A atividade física faz muito bem para a saúde, e pode ajudar em diversos campos do dia a dia, inclusive na saúde mental, quando utilizada como um complemento do tratamento principal. Assim, se você não sabe a relação entre exercícios físicos e depressão, continue a leitura!

Saiba a relação entre exercícios físicos e depressão
Fazer exercícios físicos frequentemente pode potencializar os resultados do tratamento da depressão

A depressão também é conhecida como o mal do século. Cada dia que passa, mais pessoas, infelizmente, são diagnosticadas com essa doença avassaladora. 

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), essa doença mental atinge pelo menos 300 milhões de pessoas de todas as idades no mundo inteiro. No Brasil, estima-se que 5,8% da população seja afetada por esse mal. 

A depressão, quando tratada corretamente, com acompanhamento profissional e remédios específicos, tem cura sim. E, além do tratamento, existem algumas atitudes complementares que os pacientes podem tomar que potencializam os resultados, como os exercícios físicos

O que é depressão? 

A depressão é uma doença psiquiátrica crônica, tendo como principal sintoma uma tristeza profunda e repentina, que pode durar dias, semanas ou até meses em casos mais graves. 

Geralmente, as pessoas com depressão também possuem ansiedade, o que agrava os sintomas e que pode levar os pacientes a desenvolverem uma síndrome do pânico e até pensamentos suicidas. Se este último caso acontecer com você, ligue 188 (CVV – Centro de Valorização da Vida).

A depressão pode ter inúmeras causas, desde estresse até a perda de um ente querido, que pode desencadear os sintomas, por exemplo. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, os fatores psicológicos e sociais muitas vezes são consequências e não a causa dessa doença. 

Existem algumas situações e casos específicos que podem disparar um gatilho e desencadear um problema mais sério. Por isso, é muito importante fazer acompanhamento psicológico com frequência para conseguir entender melhor os seus sentimentos e captar uma possível depressão mais cedo.

Indique sua academia

A depressão não é conhecida como “o mal do século” por acaso. Ela chega sorrateiramente e atinge profundamente as pessoas, com sintomas e consequências que podem ser irreversíveis em alguns casos. 

Quais os sintomas da depressão? 

Os sintomas da depressão podem variar para cada pessoa, dependendo da gravidade do caso e do grau da doença. Dentre os mais comuns, destacam-se: 

  • Tristeza; 
  • Alterações de humor; 
  • Insônia
  • Pouco apetite; 
  • Pensamento lento; 
  • Baixa produtividade; 
  • Baixa autoestima; 
  • Entre outros.
Quais são os sintomas da depressão
Tristeza profunda e contínua pode ser um dos sintomas da depressão

Qual a relação entre exercícios físicos e depressão? 

A depressão, por ser uma doença crônica, é desencadeada por uma série de motivos. Ela gera uma reação química no cérebro, que altera o humor, aumenta o estresse e pode agravar os sentimentos de tristeza, culpa, ansiedade, entre outros. 

Uma pessoa com depressão possui alterações químicas hormonais no cérebro, que atingem especialmente os neurotransmissores (serotonina, dopamina e noradrenalina), que são os hormônios que transmitem impulsos nervosos para as células. 

Quando fazemos exercícios físicos, o nosso corpo libera uma série de hormônios, como a endorfina, que trazem uma sensação de bem-estar na mente. 

Muito além de estética ou benefícios para o corpo, os exercícios físicos são ótimos para aumentar a disposição e a saúde mental. 

Alguns estudos comprovam que fazer exercícios físicos durante o tratamento para depressão e ansiedade pode potencializar os resultados, ajudando na recuperação perene do paciente. 

É importante sinalizar que a depressão é tratada com acompanhamento psicológico profissional e remédios específicos para o caso em questão. Os exercícios físicos apenas ajudam em alguns aspectos do procedimento, podendo proporcionar mais disposição para o paciente. 

A ausência de endorfina no cérebro pode causar inúmeros problemas, desde mau humor até ansiedade e depressão. Isso porque este hormônio é o principal responsável pela sensação de prazer e bem-estar. A melhor forma de liberar endorfina é por meio da realização de exercícios físicos. 

Por isso, a importância de fazer atividade física com frequência é enorme. Após realizar um treino ou uma série, o nosso corpo é tomado por uma sensação imediata de satisfação, por conta da alta liberação de hormônios no cérebro. 

Além disso, os exercícios físicos, de acordo com estudos recentes, podem estimular o crescimento de células nervosas no hipocampo, que é a estrutura do cérebro responsável pela memória e humor. Geralmente, essa área é menor em pessoas com depressão. 

Além de liberar a endorfina, a prática de exercícios físicos pode promover mais disposição para os pacientes e ajudar a assumir um objetivo diário que, muitas vezes, é um dos maiores desafios para os deprimidos. 

Quais exercícios físicos fazer?

Saiba quais exercícios físicos fazer no tratamento da depressão
A caminhada é um ótimo exercício para ser realizado

Qualquer exercício físico pode promover benefícios para o organismo do paciente. Não importa exatamente qual atividade ele escolha, mas, sim, ele conseguir ter a atitude e compromisso de começar a fazer a atividade física todos os dias. 

Por isso, é preciso começar com atividades mais simples para, com o avanço do tratamento, evoluir também com os treinos. 

Conheça algumas atividades físicas simples: 

Caminhada 

Fazer caminhada é ótimo, pois além de ser uma atividade ao ar livre, ela trabalha tanto os membros inferiores quanto os superiores. Se puder ser em um lugar com uma grande presença de natureza é ainda melhor, já que a paisagem pode acalmar os nervos. 

Yoga e meditação 

Yoga e meditação são duas atividades que podem ser feitas em casa e podem ser ótimas para melhorar a concentração e ajudar o paciente a se reconectar com ele mesmo. Comece com uma meditação guiada feita por exercícios simples de respiração e, aos poucos e no seu tempo, vá evoluindo para outros estilos. 

Atividades cotidianas 

Fazer atividades cotidianas, como uma faxina na casa, também ajuda a liberar a endorfina e pode ser ótima para o bem-estar do paciente, já que arrumar a casa passa uma sensação de tranquilidade. 

Sabemos que a depressão não é fácil e todos os dias é uma nova batalha a ser traçada. Respeite o seu tempo, tenha sempre um acompanhamento profissional e lembre-se de viver um dia de cada vez. 

A relação entre exercícios físicos e depressão pode ajudar muitos pacientes a terem uma melhora perene e benéfica no tratamento.

Acompanhe a TotalPass!

Gostou desse conteúdo? Confira também nossas redes sociais (Linkedin e Instagram) e veja dicas sobre atividade física, alimentação, bem-estar, saúde mental e nutrição.  

Confira também nosso canal no YouTube! A TPTV traz conteúdos exclusivos sobre gestão de equipes, liderança, saúde mental e qualidade de vida no trabalho, receitas, treinos e muito mais.

Para conhecer mais sobre os nossos planos e as redes parceiras, clique aqui.

Baixe agora mesmo o aplicativo TotalPass no Android ou iPhone e comece a aproveitar as vantagens exclusivas. 

E aí, bora?

Agora tudo pode, Agora é TotalPass