O turnover é uma das principais preocupações do RH de uma empresa, sendo um importante indicativo da efetividade do recrutamento, seleção e retenção de colaboradores. Consiste em um resultado de vários fatores internos e externos que levam um funcionário a pedir demissão, por exemplo.

Entenda o que é turnover, como calcular e conheça ações ideais para reduzi-lo em sua empresa!

Turnover: o que significa?

Traduzindo para o português, significa “rotatividade”. Portanto, o conceito de turnover se refere à taxa de rotatividade dos funcionários, ou seja, as substituições de antigos colaboradores por novos.

É comum que todas as empresas tenham uma taxa moderada. Entretanto, taxas muito altas indicam problemas, como má gestão, condições de trabalho inadequadas, remuneração incompatível com o mercado e falta de motivação.

Existem quatro tipos de turnover: voluntário, involuntário, funcional e disfuncional. No primeiro caso, o colaborador escolhe o desligamento, seja por insatisfação com a empresa, oferta de uma oportunidade melhor ou fatores externos, como problemas pessoais.

Já o turnover involuntário ocorre quando o profissional é demitido pela empresa e pode acontecer por diversos motivos, como baixa produtividade, conflitos e relações interpessoais conturbadas.

Por sua vez, o turnover funcional se refere a casos em que o funcionário, que tem a iniciativa da demissão, impacta negativamente a empresa. Finalmente, o tipo disfuncional acontece quando um colaborador capacitado e que traz resultados positivos opta pelo desligamento.

Turnover: cálculo

Para calcular a porcentagem de turnover geral, é necessário levar em consideração três fatores: número de entradas, número de saídas e total de funcionários em um determinado período de tempo (um mês, seis meses ou um ano, por exemplo).

Veja abaixo o passo a passo:

  1. Somar o número de admissões e o número de demissões; 
  2. Dividir o resultado por 2; 
  3. Dividir o resultado anterior pelo número total de funcionários; 
  4. Multiplicar o resultado final por 100.

Vale destacar que a porcentagem de rotatividade ideal é de até 10% ao ano. Já para um mês, cerca de 1%. No entanto, a média de turnover anual das empresas do país é de 43%.

Turnover e absenteísmo: qual a diferença?

Buscar como reduzir o absenteísmo também deve ser uma prioridade do RH. No entanto, é importante destacar as diferenças entre turnover e absenteísmo.

Como você já pôde ver, o turnover está relacionado com a rotatividade de funcionários. Por outro lado, o absenteísmo indica faltas e atrasos. Assim como o turnover, o absenteísmo gera problemas tanto para a empresa quanto para o próprio colaborador, devido ao atraso de tarefas e diminuição da produtividade.

Geralmente, o absenteísmo parte de funcionários sobrecarregados, pressionados ou insatisfeitos e pode anteceder um turnover.

Reduzir turnover: gestão de pessoas

Para reduzir o turnover nas empresas e aumentar a taxa de retenção de profissionais, o primeiro passo está na elaboração de uma cultura organizacional marcante e humanizada.

Desse modo, é possível atrair candidatos mais alinhados para o processo de seleção e manter funcionários engajados. Treinamentos, workshops e formas de capacitação também são bem-vindos. Além disso, promover dinâmicas para integração de setores é uma ótima alternativa.

Com o objetivo de motivar a equipe e comemorar as conquistas, pode-se realizar eventos semanais ou mensais. Outro grande diferencial é a adesão de benefícios corporativos, como a TotalPass, que simplifica o acesso às melhores academias e estúdios do país.

Veja como funciona a TotalPass e motive os colaboradores da sua empresa!